A processar, aguarde por favor...
Base de dados
Descrição
Tipo de documento Título Ínicio Fim
Entidade DetentoraEntidade Detentora

Código de referência: PT/ADL
Entidade detentora: Arquivo dos Duques de Lafões
Título: Entidade Detentora
Nível de descrição: Entidade Detentora
Condições de acesso: Acesso condicionado



FundoCasa de Arronches17361785

Código de referência: PT/ADL/CA
Entidade detentora: Arquivo dos Duques de Lafões
Título: Casa de Arronches
Datas extremas: 1736-1785
Nível de descrição: Fundo
Dimensão unid.descrição: 1 maço
Sistema de organização: Temático-funcional
Estatuto legal: Arquivo Privado
Condições de acesso: Acesso condicionado
Nota do arquivista:
A informação relativa ao âmbito cronológico e dimensão e suporte dizem respeito apenas à documentação já objecto de tratamento arquivístico e digitalização



FundoCasa de Cantanhede17951812

Código de referência: PT/ADL/CC
Entidade detentora: Arquivo dos Duques de Lafões
Título: Casa de Cantanhede
Datas extremas: 1795-1812
Nível de descrição: Fundo
Dimensão unid.descrição: 1 livro, 1 documento
Nome do produtor: Meneses, Família, fl. 1392-1823, Condes de Cantanhede
Hist.admin./biográfica: Os Meneses de Cantanhede descendiam da mais alta nobreza da Península Ibérica. Foi primeiro Senhor de Cantanhede, por carta de 27 de janeiro de 1392, o 1º Conde de Neiva, D. Gonçalo Teles de Meneses, filho de D. Martim Afonso Teles de Meneses e Aldonça Anes de Vasconcelos que foi casado com D. Maria Afonso de Albuquerque.
Foi 1º Conde de Cantanhede, Tancos, Tanquinhos, Atalaia, Cinceira e de outras vilas, o 5º senhor de Cantanhede, D. Pedro de Menezes, (c. 1450-1518), por carta de D. Afonso V em 1479, rectificado por carta de D. Manuel I de 5 de maio de 1512. Era 3º neto de Gonçalo Telles de Menezes, Conde de Neiva e Faria, alcaide mor de Coimbra e 1º senhor de Cantanhede. O título foi-lhe atribuído como recompensa pela sua participação na Batalha de Toro em 1476.
O título só foi renovado, por Filipe II a 21-04-1618, no seu quarto neto, 9º Senhor de Cantanhede e 2º Conde Dom Pedro de Meneses (ca. 1580-1644), presidente do Semado da Câmara de Lisboa. Casou com D. Constança de Gusmão, filha dos 1ºs Condes de Vila Franca.
O 10º Senhor e 3º Conde de Cantanhede, D. António Luís de Meneses (1603-1675) foi o 1º Marquês de Marialva, título concedido por D. Afono VI pela acção no 1° de Dezembro de 1640 e na Guerra da Restauração que lhe seguiu, principalmente na vitória de Montes Claros.
O Condado de Cantanhede foi absorvido pelo marquesado de Marialva e o título condal foi então usado, tal como era prática corrente, pelo herdeiro do marquesado em vida do pai.
Hist.cust.e arquivística: Arquivo de família dos Condes de Cantanhede, que se integrou na Casa de Marialva a partir do 1º Marquês de Marialva, D. António Luís de Meneses.
Entrou na posse dos Duques de Lafões após a morte do 6º Marquês de Marialva, D. Pedro José Joaquim Vito de Meneses Coutinho, cuja herdeira foi a 3ª Duquesa de Lafões.
Âmbito e conteúdo: Fundo constituído por cópias não autenticadas e certidões pedidas pelo 4º Marquês de Marialva D. Pedro Alcântara de Meneses relativas aos 1ºs Condes de Cantanhede, Dom Pedro de Meneses e sua mulher D. Guiomar de Castro
Sistema de organização: Temático-funcional
Estatuto legal: Arquivo Privado
Condições de acesso: Acesso condicionado
Idioma/Escrita:
Maioritariamente em português
Instrumentos de descrição:
Comenda de Cantanhede. In: Guia de Fundos do Arquivo da Universidade de Coimbra, coord. José Pedro Paiva. Coimbra, Imprensa da Universidade, 2015, p. 345
Unidades descrição associadas:
Coimbra. Arquivo da Universidade- Comenda de Cantanhede
Nota de publicação: CAPELO, Ludovina Cartaxo- Inventário da Comenda do Conde Cantanhede [dactilografado]. Coimbra, Arquivo da Universidade, 2006
MARQUES, Diogo Filipe Matias - O domínio senhorial em Cantanhede nos finais do Antigo Regime [Em linha]. Coimbra, Universidade, 2014. Dissertação de Mestrado em História
ZUQUETE, Afonso- Nobreza de Portugal e do Brasil. Lisboa, Ed. Enciclopédia, 1961
Nota do arquivista: A informação relativa ao âmbito cronológico e dimensão e suporte dizem respeito apenas à documentação já objecto de tratamento arquivístico e digitalização
Assuntos: Casa de Cantanhede / Condes de Cantanhede



FundoCasa Lafões

Código de referência: PT/ADL/CL
Entidade detentora: Arquivo dos Duques de Lafões
Título: Casa Lafões
Nível de descrição: Fundo
Dimensão unid.descrição: 50 caixas, 40 livros
Nome do produtor: D. Pedro Henrique de Bragança Ligne de Sousa Tavares Mascarenhas da Silva, 1718-1761, 1º Duque de Lafões
Hist.cust.e arquivística: Arquivo de família, composto pela junção de documentação de outras famílias com que se foram estabelecendo laços de parentesdo, manteve-se na posse dos Duques de Lafões até aos dias de hoje
Sistema de organização: Temático-funcional
Estatuto legal: Arquivo Privado
Condições de acesso: Acesso condicionado
Idioma/Escrita:
Maioritariamente em português, com documentos em francês.
Instrumentos de descrição:
PORTUGAL. Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo. Direcção de Serviços de Arquivística - "Casa de Lafões". in Guia Geral dos Fundos da Torre do Tombo: Colecções, Arquivos de Pessoas Singulares, de Famílias, de Empresas, de Associações, de Comissões e de Congressos. Coord. Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha [et al.]; elab. Lucília Runa; fot. José António Silva. Lisboa: IAN/TT, 2005. vol. VI. (Instrumentos de Descrição Documental). ISBN 972-8107-69-2. p. 206-208. Acessível na Torre do Tombo, IDL 602/6. . PORTUGAL. Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo - Arquivos Particulares: catálogo. [dactilografado]. Acessível na Torre do Tombo, ID L 545, p. 5.
Unidades descrição associadas:
Portugal, Torre do Tombo: Casa Lafões
Portugal. ICS: Arquivo de História Social, Coleção Nuno Gonçalo Monteiro
Portugal, Arquivo Histórico de Sintra: "Acervo da Casa de Lafões"
Portugal, Arquivo Histórico Militar: "Comando do Duque de Lafões"
Nota de publicação: Nobreza de Portugal e do Brasil / Afonso Zuquete. - 3ª edição. –Zairol Editores, 2000.
Memorias historico-genealogicas dos duques portuguezes no seculo XIX / por João Carlos Feio Cardoso de Castello Branco e Torres e Visconde de Sanches Baêna. - Lisboa : Typ. da Academia Real das Sciencias, 1883.
O crepúsculo dos grandes : a casa e o património da aristocracia em Portugal : 1750-1832 / Nuno Gonçalo Monteiro. - LIsboa, INCM, imp. 1998.
D. João Carlos de Bragança, 2º duque de Lafões, fundador da Academia das Ciências / Rómulo de Carvalho. - Lisboa: ACL, 1987.
O Segundo Duque de Lafões e o Marquês de Pombal. Subsídios para a biografia do fundador da Academia das Ciências de Lisboa / António Ferrão. In "Boletim de 2ª Classe". XIX, p. 407-588
Dom João Carlos de Bragança, 2º Duque de Lafões: uma vida singular no século das luzes / Nuno Gonçalo Monteiro e Fernando Dores Costa. - Lisboa: INAPA, 2006.
Nota do arquivista: A informação relativa ao âmbito cronológico e dimensão e suporte dizem respeito apenas à documentação já objecto de tratamento arquivístico e digitalização



FundoCasa de Marialva

Código de referência: PT/ADL/CM
Entidade detentora: Arquivo dos Duques de Lafões
Título: Casa de Marialva
Nível de descrição: Fundo
Dimensão unid.descrição: 3 caixas, 6 livros
Nome do produtor: Meneses Coutinho, fl. 1463-1823, Marqueses de Marialva
Hist.admin./biográfica: Foi 1º Conde de Marialva D. Vasco Fernandes Coutinho, que morreu em janeiro de 1463, filho do Marechal do Reino Gonçalo Vasques Coutinho e de sua mulher Leonor Dias de Azevedo. Foi Marechal e Meirinho-Mor do Reino, Senhor do Couto de Leomil e de muitas outras terras. Foi Senhor de Marialva (Carta de 2-x-1440) e Alcaide-Mor de Trancoso.
Casou em 1412 com D. Maria de Sousa, que morreu em 1472, filha legitimada de D. Diogo Lopo de Sousa, mestre da O.C. O título de Conde de Marialva foi-lhe concedido por D. Afonso V.
Foi 2º Conde D. Gonçalo Coutinho, que morreu na conquista de Tanger a 20-I-1464, filho dos 1ºs condes de Marialva.
Foi do Conselho de El-Rei e seu Meirinho-mor e sucedeu a seu pai em todos os seus senhorios e cargos. Casou com D. Brites de Melo, filha de Martim Afonso de Melo, Senhor de Barbacena, Alcaide-Mor de Évora, Olivença, Campo Maior e Castelo de Vide, Guarda-Mor de D. João I e de sua mulher D. Briolanja de Sousa.
O título foi-lhe confirmado por carta de 8-IV-1463 de D. Afonso V.
Foi 3º Conde D. João Coutinho que morreu solteiro e sem geração, na tomada de Arzila a 24-VIII-1471, filho dos 2ºs Condes. O titulo foi-lhe concedido por carta de 8 (ou 13)-IV-1465 de D. Afonso V.
Foi 4º Conde D. Francisco Coutinho, que morreu em 1532, irmão do anterior. Foi Meirinho-Mor, oficio em que sucedeu diretamente de seu pai, Senhor de Castelo Rodrigo, Leomil, Penela, Póvoa, Valongo e de muitas outras terras, Senhor do Morgado de Medelo, Alcaide-Mor de Lamego, etc. Casou duas vezes a primeira em 1476 com D. Maria de Ulhoa, filha de D. João de Ulhoa do Conselho de El-Rei e Alcaide-Mor de Castelo Rodrigo e de sua mulher D. Maria Sarmento, s.g.; a segunda com D. Beatriz de Meneses, 2ª Condessa de Loulé.
Teve confirmação do título entre 4 de outubro e 5-XI-1475 (D. Afonso V). O condado de Loulé, por direito de sua mulher, foi-lhe confirmado a 24-XI-1497 (D. Manuel I). D. Manuel concedeu que lhe sucedesse sua filha nos condados, terras, alcaidarias-mores e no ofício de meirinho-mor
Foi 5ª Condessa de Marialva a 3ª Condessa de Loulé e Duquesa da Guarda, D. Guiomar Coutinho, filha única do 2º casamento do 4º Conde de Marialva, que foi casada com o Infante D. Fernando, Duque da Guarda, filho de D. Manuel I e de D. Maria, sua segunda mulher.
O título de Marialva foi-lhe reconhecido por D. João III a 4-IX-1530. A extinção desta família, por morte do Infante D. Fernando e de D. Guiomar Coutinho, bem como dos seus dois filhos, determinou a extinção de todos os seus títulos.
Os Bens da Coroa foram incorporados na Coroa à exceção dos Morgados do Medelo e Torre do Bispo que passaram para D. Fernando Coutinho, primo de D. Guiomar Coutinho, que era filho de D. Fernando Coutinho, irmão mais novo de D. Francisco Coutinho.
De D. Fernando Coutinho passaram a seu filho D. Manuel Coutinho e deste a sua filha D. Catarina Coutinho, Marquesa de Marialva por casamento com o 1º Marquês de Marialva D. António Luís de Menezes.
D. Afonso VI fez mercê a António Luís de Menezes do título de Marquês da Vila de Marialva, por carta de 11 de junho de 1661, de que foram Condes, os ascendentes de D. Catarina. E a 17 de junho de 1666 a Mercê da doação das Vilas de Leomil, Penela, Póvoa de Valongo, que também foram da Casa dos Condes de Marialva
Hist.cust.e arquivística: Arquivo de família, composto pela junção de documentação dos Marqueses de Marialva e de outras famílias com que se foram estabelecendo laços de parentesdo.
Após a morte do 6º Marquês de Marialva, D. Pedro José Joaquim Vito de Meneses Coutinho, entrou na posse dos Duques de Lafões através da 3ª Duquesa, D. Ana Maria de Bragança que foi a sua herdeira.
Sistema de organização: Temático-funcional
Estatuto legal: Arquivo Privado
Condições de acesso: Acesso condicionado
Idioma/Escrita:
Maioritariamente em português
Instrumentos de descrição:
PORTUGAL. Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo. Direcção de Serviços de Arquivística - "Casa de Marialva". in Guia Geral dos Fundos da Torre do Tombo: Colecções, Arquivos de Pessoas Singulares, de Famílias, de Empresas, de Associações, de Comissões e de Congressos. Coord. Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha [et al.]; elab. Lucília Runa; fot. José António Silva. Lisboa: IAN/TT, 2005. vol. VI. (Instrumentos de Descrição Documental). ISBN 972-8107-69-2. p. 208-209. Acessível no IAN/TT, IDD (L602/6).. PORTUGAL. Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo - Arquivos Particulares: catálogo. [dactilografado]. Acessível na Torre do Tombo, ID L 545
Unidades descrição associadas:
Portugal. Torre do Tombo: Casa de Marialva
Portugal. ICS: Arquivo de História Social, Colecção Nuno Gonçalo Monteiro.
Portugal. Arquivo Histórico de Sintra: "Fundo Marqueses de Marialva” - 1656-07-01 a 1845-07-10
Portugal. Arquivo Histórico de Sintra: Cartório do 4º Marquês de Marialva, D. Pedro José Joaquim Vito de Meneses, estribeiro-mor do Reino, séculos XVIII e XIX.
Portugal. INVENTARQ: Inventário da documentação pertencente às Igrejas que eram Padroado dos Condes de Marialva. 1565?
Nota de publicação: ZUQUETE, Afonso- Nobreza de Portugal e do Brasil. Lisboa, Ed. Enciclopédia, 1961
MONTEIRO, Nuno Gonçalo- O crepúsculo dos grandes : a casa e o património da aristocracia em Portugal : 1750-1832. Lisboa, INCM, imp. 1998.
LUÍS, Nuno Castro - O último Marquês de Marialva : um embaixador na Europa de Viena. História. Revista da FLUP. Porto, IV Série, vol. 5 - 2015, 37-52.
OLIVEIRA, Luís Filipe- O Arquivo dos Condes de Marialva num inventário do século XVI [Em linha]. In COLÓQUIO, Évora, 2000 — Elites de redes clientelares na Idade Média. Problemas Metodológicos: atas, ed. Filipe Themudo Barata. Lisboa: Edições Colibri, CIDEHUS-UÉ, 2001, p. 221-260 (a transcrição está nas p. 230-260).
VILAR, Hermínia Vasconcelos, Castelo Branco, Marta- Servir, governar e legar [Em linha] : o Bispo D. Geraldo Domingues (1285-1321). In: A Igreja e o clero português no contexto europeu. Lisboa, Universidade Católica Portuguesa, Centro de Estudos de História Religiosa, 2005. ISBN 978-972-8361-21-1.
MONTEIRO, Nuno Gonçalo- Os rendimentos da aristocracia portuguesa na crise do Antigo Regime [Em linha]. In: Análise Social, vol. XXVI (111), 1991 (2.°), 361-384.
Nota do arquivista: A informação relativa ao âmbito cronológico e dimensão e suporte dizem respeito apenas à documentação já objecto de tratamento arquivístico e digitalização
Assuntos: Casa de Marialva / Condes de Marialva / Marqueses de Marialva